Aprenda a identificar cancro de pele

Identificar cancro de pele

Publicidade

O cancro de pele pode afetar qualquer pessoa, em qualquer idade, sendo mais comuns em pessoas com mais de 50 anos ou pessoas que tiveram uma exposição prolongada ao sol, segundo dados da Associação Portuguesa do Cancro Cutâneo (APCC).

E o risco aumenta se:

  • Tem pele clara ou é propenso a queimaduras solares,
  • Sofreu queimaduras solares na infância,
  • Tem uma grande exposição ao sol,
  • Faz exposições periódicas ao sol (por exemplo, nas férias),
  • Recorre a solários,
  • Tem mais de 50 “sinais” (nevos) no corpo,
  • Tem uma história familiar de cancro da pele,
  • Tem mais de 50 anos de idade,
  • Foi submetido a um transplante de órgão.

Mas há alguma coisa que possamos fazer para nos proteger? A boa notícia é que há. Basta que fique atento aos sinais no seu corpo: faça um autoexame de mês a mês, e caso veja algum sinal suspeito vá, de imediato, ao médico.

Mas o que procurar no nosso corpo, mais concretamente nos nossos sinais?

– Sinais que sofreram alguma alteração de tamanho, cor e/ou forma,

– Sinais diferentes dos outros,

– Sinais assimétricos ou com bordos irregulares,

– Sinais ásperos ou escamosos,

– Sinais de várias cores,

– Sinais que dão comichão,

– Sinais que sangram ou libertam líquido,

– Sinais com aspeto rosado,

– Sinais que parecem uma ferida, mas não cicatrizam.

E para nos ajudar ainda mais existem a regra do ABCDE do melanoma que nos ajuda a detetar o melanoma mais cedo:

Sinais de melanoma